mais sobre mim

cuscar no ninho

 

Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Crónicas frescas

Vida social agitada II- O...

Não sou paranóica, mas qu...

Cronicas Antigas

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

adeus

agradecimento

ajuda

alimentação

almoço atribulado

amiga

amigos

amizade

amor

amor de mãe

amor maternal filha

aniversário

aniversário da bárbara

aniversário do cr´´onicas

aniversário do crónicasde uma mãe atrapa

anjos

apego

aprender

apressada

arrumações

avó

bá escola

bá sementes

baba

babyblog

banho

bárbara

barbara

bárbara.

batata

bbá

bdnotícias de bárbara

bebé

bebé quer falam precocemente

bebés

beijos

birra

birras

blogontro

blogontro cancelado.

boas festas

bola de pêlo

bolo de bolacha receitas fáceis

bondade

bonita

brincadeias avós lenga-lenga

brincadeira

brinquedos

cadeia alimentar

cadeirinhas

campanha. mãe

carinho

carnaval

carro

carros

carta

chacina

chica esperta

cibernética

cinema

cinoc sentidos anjos de prata

cinto

ciúmes

clube mammy

concurso

conversas engraçadas

coração de ouro.

criança

crianças

darfur

desenho

dia do pai

divertido

festa

filha

filhos

flores

golfinhos

histórias

jardim

linda

mãe

magia

mamã

menina crescida

natal

notícias da bá

operação

parabéns

patinho

polícia

praia

prémio

regresso

sapo

selo

talento

vaca

varicela

todas as tags

A mamã gansa gostou

A minha experiência de am...

Fomos à praia

E quando os filhos de Cro...

FRAUDE CIBERNÉTICA É CRIM...

Sabor a azul do Céu...

O Ursinho Gummy

A mamã Natal perdeu as ca...

Um Domingo especial

Parabéns filha

Para a minha Barbarita pe...

Mminhos para o Ninho

1º Lugar Babyblogs

Mamã Gansa

Cria o teu cartão de visita

Voaram sobre o o ninho da Mamã Gansa

Andamos por aqui...

O Nosso selo e os de voos amigos

Crónicas de uma Mãe Atrapalhada

O Selo do nosso Ninho e voos amigos

Crónicas de uma Mãe Atrapalhada

blogs SAPO

subscrever feeds

"Vais ter que aprender a viver com dois pequenos problemas" Bárbara

Carta ao Pai NatalCarta ao Pai Natal de Bárbara Duarte

Lilypie Kids Birthday tickers Daisypath Happy Birthday tickers Lilypie Third Birthday tickers Lilypie Breastfeeding tickers
Sexta-feira, 4 de Julho de 2008

Vida social agitada II- O nosso piquenique

 

Como ando no trabalho hoje, amanhã estou sem trabalho, decidi passar um dia com a minha filha sem pensar em problemas. Então não fiz mais nada, como as avós moram perto do nosso jardim preferido, ficámos lá de noite e de manhã cedinho fui comprar umas coisinhas para levarmos para um piquenique. Assim foi, depois de equipada com comida, e manta para nos sentarmos. Pequei na Bá que não se continha de excitação e levei-a comigo. Foi muito bom passámos as duas o dia no jardim. Almoçámos e lanchámos lá. È claro que também levei alguns brinquedos para a Bá se entreter e uma bola para jogarmos, porque ela adora jogar à bola. E assim foi a Bá ainda tentou dormir uma soneca no jardim mas puxou a mantinha para cima dela e ficou cheia de folhas tive que estar a sacudi-la. Mas acabou por não dormir. Fizemos bolinhas de sabão, montámos um bonequinho de mini-lego um piratinha, jogámos à bola. Depois a Bá praticou um dos desportos favoritos andar atrás dos pombos e como viu pardais também se divertiu atrás destes. Na saga da perseguição dos pombos e dos pardais é que me cansei e zanguei com ela, pois está cada dia mis destemida e saltou a vedação do lago dos patos para ir atrás dos pombos por duas vezes, o que, me deixou muito zangada com ela, pois disse-lhe para não fazer e ela continuou, o que, me deixava preocupada pois ficava com medo que ela pudesse tropeçar e ir para o lago e confesso que não estava calor para tomar banho. Agora brinco, mas na altura fiquei muito assustada com a possibilidade de ela poder cair no Lago. Depois para ela sossegar fomos brincar um pouco ás escondidas as duas no espacinho entre duas árvores e para ela andar um pouco atrás de mim também inventei uma brincadeira em que ora eu fazia de pombinha e ela corria atrás de mim, ora ela era um pardalinho e eu ia atrás dela. Por último fomos dar de comer aos patos e também aos pombos. Enquanto lá estávamos estava lá uma emigrante com duas crianças. A mais pequena entalou o pé entre duas pedras e depois de eu ter chamado atenção da senhora que a menina estava entalada e não conseguia sair dali, só a terceira vez é que esta se dignou ir ajudar a filha, eu achei que se a mãe estava perto, eu não tinha que o fazer, pois tinha de estar atenta à minha filha, além de que a senhora fingiu não me perceber das duas primeiras vezes, quando eu sabia que, ela me percebia perfeitamente. A senhora olhou e desatou a puxar pela criança sem efeitos, e sem pensar que magoava criança embora esta se queixasse. Já se aguentar a aflição da criança sugeri à senhora que descalçasse a criança e que a seguir tirasse o sapato do buraco, a senhora olhou para mim e fez o que lhe sugeri e a criança ficou bem, mas nem uma palavra de obrigada. Sinceramente! (note-se que tenho emigrantes na família e nada tenho contra emigrantes mas acho certas atitudes deploráveis! É que ainda por cima eu tinha acabado de a ouvir falar em português e assim que nos viu começou a falar em Inglês! Haja paciência!) Entretanto um senhor que me pareceu ser o avô das crianças pois estava com elas, deu pão á Bárbara para esta dar aos pombos, mas ela gosta mesmo é dar aos patinhos e depois a Bá não parava de lhe pedir. Eu tinha levado algum, mas foi pouquinho. Entretanto ligaram-me e enquanto eu estava ao telefone ficou completamente endiabrada, a fugir-me e zanguei-me com ela. Depois fizemos as pazes e fomos brincar mais um pouco. E saímos do Jardim, para ir para casa.

Acho que a Bá está uma menina muito crescida e eu apesar dela andar “torcidinha” e reguila, estou muito orgulhosa dela pois aguentou-se a tarde inteira de cuequinhas e sempre que precisou pediu.Como o Jardim tinha o W.C. aberto foi bom. Pena que um jardim tão frequentado por crianças e bebés não tenha um familiar W.C com fraldário. Enfim contentemo-nos à boa moda portuguesa e ter um W.C. a funcionar e limpo, já é muito bom. Ah e como havia uma que cheirava a framboesa, ela queria ir sempre a essa.

Foi um dia bem passado, só fiquei com um problema é que Bá agora não quer outra coisa... No geral posso dizer que o nosso piquenique correu muito bem e agora é esperar pelo blogontro de Domingo e ver como corre.

Como o costume, casa de ferreiro espeto de pau, não levei máquina para registar esses momentos na fotografia, mas tenho a certeza que ambas registamos um dia bem passado no nosso coração.

 

ilustração retirada da internet

sinto-me: agradecida ao são Pedro
crónica da Mamã Gansa às 14:05
link do post | Diga à Mamã Gansa | o que disseram à mamã (10) | Ena pá isto é muito giro
 O que é? |  O que é?
Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007

Não sou paranóica, mas que aconteceu, aconteceu!

Não sou paranóica no que diz respeito a perseguições ou coisas no género. Mas no que diz respeito a crianças todo o cuidado é pouco. O que eu vou relatar já se passou há mais de oito dias na sexta-feira anterior a esta última. Como já aqui disse gosto de passar com a Bárbara no Jardim da Estrela. As avós moram lá perto e fazemos dois em um, passeamos e deixamos avós contentes pela visita. É comum o jardim estar cheio de crianças e turistas, de máquina em punho prestes a registar as suas recordações num flash, talvez por isso desconsiderei a maior das vezes que sinto flashes apontados a mim ou à Bárbara, pois é normal por vezes sermos apanhadas em querer. Mas voltando à vaca fria. Eram já perto da 17 horas fomos lanchar à esplanada. A Dona Bárbara aproveita-se de eu estar atirara a carteira para pagar e decide fugir-me vou atrás dela e aperto – lhe a mão com tanta força que dá dó para que não volta a fugir. Finalmente consigo pagara e vamos lanchar. Pouco tempo depois de estarmos sentadas a Bárbara assusta-se e eu sinto um flash directo anos. Olho em volta e não vejo ninguém de máquina em punho. Devia ser de alguém de passagem, penso e tento não sobrevalorizar a questão. Vamos dar o lanche aos patos e seguir vamos jogar à bola. Escolhemos um espaço relvado perto do Coreto onde só estamos as duas. Entretanto chega um pai com uma menina mais pequenina que a Bárbara que brincar com a bola. Amoroso a Barbara aceita brincar com a menina e empresta-lhe a bola. Enquanto esperamos que a menina toque na bola, sinto sem qualquer sombra de dúvida um flash dirigido a nós, ( a menina e o pai desta estavam de costas para a direcção do flash). Olho na direcção do flash e vejo um homem sair acorrer detrás de uma árvore, que estaca quando me vê olhar e começa a afastar-se mais lentamente e a olhar para trás. Embora a primeira reacção fosse pensar correr atrás dele contive-me pois não podia deixar a Barbar sozinha. Como estava sem óculos não lhe fixei os traços de rosto. Mas fixei que era de meia-idade, calvo com óculos, tinha estatura média à volta de 1,65m e afastou-se com uma andar meio corcovado, sempre a olhar para trás. Despedi-me do pai da criança, peguei na bola e na Bárbara e fui tentar encontrar polícia, que nesse dia não vi no Jardim. Já não é primeira vez com o Jardim semi-vazio que tenho a sensação de estar a ser fotografada, mas por todos os motivos que descrevi nunca valorizei   a situação mas a certeza foi desta vez. Alguém que eu não sei quem é nem com que intenções, tem fotos minhas e mais grave da minha filha. Pode ser inócuo, pelo gosto de fotografar, mas porquê o esconder-se e o fugir?

 Pelo sim pelo não, fui a uma esquadra local e relatei o sucedido. Para minha surpresa, deram mais ao atenção ao que eu descrevi do que eu esperava, pelo fiquei surpreendida pela positiva e aconselharam-me que se voltasse a acontecer semelhante coisa contactasse para o 112 no caso de não ver polícia, no Jardim, pois eles dizem que têm sempre lá gente e que nos põe imediatamente em contacto. Não deixei de frequentar o Jardim, mas com cuidado redobrado. e da última vez que lá estive, vi uma patrulha. Não sei se reagi bem, mas situação para mim era estranha e nova e vocês o que fariam?

crónica da Mamã Gansa às 14:34
link do post | Diga à Mamã Gansa | o que disseram à mamã (11) | Ena pá isto é muito giro
 O que é? |  O que é?

Crónicas gosta de

Andamos por aqui...