mais sobre mim

cuscar no ninho

 

Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Crónicas frescas

2anos….

Manteiga

Coisas más e coisas boas

Feliz 2014

Feliz Natal

Feliz Natal

Dezanove mesinhos

Afinal há manhãs assim c...

Fomos a praia os três...

Gonçalo e a "cobertura de...

Gonçalo e a Otite

Batata versus Body

Voltámos à nossa Praia

Notícias

O puto já anda

8 anos o número do Infini...

Um ano de ti Gonçalinho

FELIZ NATAL

Babá valente

Dez meses de ti Gonçalo.

Saídas da Bá

O lanche do Gonçalo

O 1º lanche que a mana d...

É oficial a Bá já está no...

Dicionário de Bárbara

Já fiz 5 meses.

Indginção em dfesa da ama...

Nasceu uma mãe I

Nasceu uma mãe II

Coisas da Bá

Cronicas Antigas

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

adeus

agradecimento

ajuda

alimentação

almoço atribulado

amiga

amigos

amizade

amor

amor de mãe

amor maternal filha

aniversário

aniversário da bárbara

aniversário do cr´´onicas

aniversário do crónicasde uma mãe atrapa

anjos

apego

aprender

apressada

arrumações

avó

bá escola

bá sementes

baba

babyblog

banho

bárbara

barbara

bárbara.

batata

bbá

bdnotícias de bárbara

bebé

bebé quer falam precocemente

bebés

beijos

birra

birras

blogontro

blogontro cancelado.

boas festas

bola de pêlo

bolo de bolacha receitas fáceis

bondade

bonita

brincadeias avós lenga-lenga

brincadeira

brinquedos

cadeia alimentar

cadeirinhas

campanha. mãe

carinho

carnaval

carro

carros

carta

chacina

chica esperta

cibernética

cinema

cinoc sentidos anjos de prata

cinto

ciúmes

clube mammy

concurso

conversas engraçadas

coração de ouro.

criança

crianças

darfur

desenho

dia do pai

divertido

festa

filha

filhos

flores

golfinhos

histórias

jardim

linda

mãe

magia

mamã

menina crescida

natal

notícias da bá

operação

parabéns

patinho

polícia

praia

prémio

regresso

sapo

selo

talento

vaca

varicela

todas as tags

A mamã gansa gostou

A minha experiência de am...

Fomos à praia

E quando os filhos de Cro...

FRAUDE CIBERNÉTICA É CRIM...

Sabor a azul do Céu...

O Ursinho Gummy

A mamã Natal perdeu as ca...

Um Domingo especial

Parabéns filha

Para a minha Barbarita pe...

Mminhos para o Ninho

1º Lugar Babyblogs

Mamã Gansa

Cria o teu cartão de visita

Voaram sobre o o ninho da Mamã Gansa

Andamos por aqui...

O Nosso selo e os de voos amigos

Crónicas de uma Mãe Atrapalhada

O Selo do nosso Ninho e voos amigos

Crónicas de uma Mãe Atrapalhada

blogs SAPO

subscrever feeds

"Vais ter que aprender a viver com dois pequenos problemas" Bárbara

Carta ao Pai NatalCarta ao Pai Natal de Bárbara Duarte

Lilypie Kids Birthday tickers Daisypath Happy Birthday tickers Lilypie Third Birthday tickers Lilypie Breastfeeding tickers
Quarta-feira, 12 de Outubro de 2011

Ainda a tal bolinha amarela…

 

 

 

 

A Bárbara não é uma criança de trato fácil, embora seja meiga e ternurenta, oscila essa meiguice com laivos de rebeldia desde muito cedo. Mas, ao mesmo tempo que assim é, é uma criança de extremos (afinal ela é peixinhos, nadam cada um para o seu lado) se por um lado é extrovertida e sociável, por outro, muito tímida e reservada. Se algum miúdo na escola lhe bater ou lhe estragar alguma coisa ela é incapaz de fazer queixa, depois quando se farta defende-se e para azar dela normalmente é apanhada quando o faz, mas é incapaz de dizer que foi o outro que lhe bateu primeiro. E depois fica revoltada. Segunda fui buscá-la, ainda estava na salita, onde ficam a fazer os trabalhos depois das aulas, enquanto os pais não os vão buscar. Estava ela a mostra-me a capa dos trabalhos manuais, sentadinha a chinês, quando um colega sem mais nem menos mesmo na minha frente se lembra de lhe dar um pontapé na capa que lhe foi contra cara, Claro que ali ela se queixou que ela atinha magoado e eu disse ao menino que ele não tinha nada que o fazer pois ela não se estava a meter com ele.

 

A seguir eu queria ir-me embora e menina nada de se despachar. De repente sai da sala e ia-se embora sem mais nem menos. Chamo-a para levar a mochila, que normalmente até lha levo. Vira-se para mim e diz levas tu: ah não meu amor que a criada está de folga. Foi pela atitude e não por eu lhe levar a mochila. Voltou e chamou-me danada aos gritos que queria que eu lhe levasse a mochila, como lhe disse que não e mantive o não, disse-lhe para se despachar e andei para frente. Atirou com a mochila para o meio das escadas ( a esta altura eu já estava deitar fumo e a segurar-me) voltei atrás, dei-lhe um puxão de orelhas e obriguei-a apanhar a mochila.

 

Desde a sala à saída da escola que fez uma birra desenfreada, chorava gritava-me enfim. Já estávamos fora do portão quando num enorme choro sentido me pede para ir á cãs de banho, voltamos para trás. Quando sai da casa de banho agarra-se a mim num choro convulsivo, desculpa mamã! E chora convulsivamente agarrada a mim. De repente ocorre-me: Bá o que se passou hoje na escola que te deixou assim tão irritada. Responde um: - nada mamã - pouco convincente. À noite entre a luta para ela acabar os poucos trabalhos casa que ainda trouxe, vem, já sem eu esperar, a resposta a toda esta birra.

 

Ela pega numa mola de escritório em forma de patinho e começa a falar:

-Vou-te dizer uma coisa. Hoje a professora ofereceu aos meninos que tiveram sempre bolinhas verdes uma molinha igual a esta mas em forma de golfinho. Eu não tive direito porque tive uma bolinha amarela, no recreio, se fosse amarela no refeitório podia ter, mas como foi no recreio, eu não tive direito. E eu gosto tanto de golfinhos…

-Os olhos dela enchem-se de tristeza, o choro retorna.

-Não é justo, se fosse eu que tivesse começado, a bolinha amarela era justa, mas não fui eu que comecei, ainda por cima fui amiga, não fiz queixa da M.

-Olha filha regras, são regras, a mãe não pode interferir nas regras da professora, mas devia ter feito queixa, porque afinal a tua amiga fez queixa de ti. Tens que dizer as coisas se não as pessoas não adivinham. Amanhã fazes queixa à professora do menino que te bateu com a capa. Fazemos assim se te baterem não fazes nada, vais fazer queixa (que eu depois quero ver o que fazem, penso eu com os meu botões), que eu tenho certeza que a partir de agora vais ter só bolinhas verdes. E amanhã fazes queixa à professora que aquele menino te bateu quando me estavas a mostrar a capa. E como a mamã acha que tens esforçado muito a mamã oferece-te não um golfinho, mas uma caixa deles, mas só se te portares bem. Sentiu-se mais animada e começou entusiástica e detalhadamente a explicar como eram os golfinhos. Acabou os trabalhos, foi comer e foi para a cama.

 

Fiquei a perceber que muitas das birras dela comigo, eram provavelmente situações de injustiça na escola que ela não me dava conhecimento, porque é difícil arrancar-lhe alguma coisa. Fiquei com a certeza que ela vai continuar, sem se queixar o que me angustia. Decidi falar coma a professora que me parece uma pessoa muito acessível. Assim que lhe disse que precisava de falar com ela disponibilizou-se logo. Estava eu a fazer tempo para ligar à professora, quando ela própria me ligou. Expliquei que a Bá me mostra sempre os recados todos e que já tinha tomado conhecimento da bolinha amarela, mas que tinha sido desleixo meu não ter assinado, nem a da bola amarela nem a da cara sorridente, onde vinham todas verdes. Expliquei também que embora com algum esforça ela tinha acabado, por me contar o que se tinha passado. também disse que sabia que a minha filha não era melhor do que os ouros e que eu própria dizia que ela tinha uma personalidade forte que raramente se revelava na escola. Ela concordou, pois diz que em relação ao seu comportamento com ela só tem a dizer bem Mas que também sei que a minha filha não é criança de bater noutra só porque lhe passou uma coisa pela vista. Que sim que lhe digo para se defender, para bater sem motivo, não, mas para se defender. E sei que se lhe baterem ela não vai dizer. Aproveito para perguntar o que já sei (que ela não fez queixa do menino que lhe bateu e que vai continuar sem se queixar deste e de outros. A professora confirma-me que ela não se tinha queixado. Explico que a situação foi à minha frente, que não gosto muito de interferir, mas que perante atitude e o contexto tive que avisar o menino para não o repetir. A professora percebeu o tipo de criança que a Bá é, e prometeu-me que ia estar mais atenta e que ia alertar a auxiliar da sala. E eu acredito na sua boa vontade. O que me angustia é que sei que nem sempre conseguimos nos aperceber destas situações, principalmente quando as crianças não falam.

 

 Ontem a Bá parecia outra criança, quando a fui buscar brincava alegre com as suas coleguinhas. Tentei saber o que a professora falou com ela, mas não se desmanchou muito.

 

  Conforme o prometido à saída da escola ela foi comigo buscar a caixa dos golfinhos e vejam lá, queria oferecer um, à outra safada com que se pegou e por causa da qual teve a bolinha amarela…a má da mãe é que não deixou.

 E confesso que gosto da professora dela e da sua amável disponibilidade.

 Agora vamos esperar pelas bolinhas…•••

tags:
crónica da Mamã Gansa às 14:31
link do post | Diga à Mamã Gansa | Ena pá isto é muito giro
 O que é? |  O que é?
2 grasnados:
De Raquel R. a 13 de Outubro de 2011 às 15:38
O importante é estares atenta aos sinais! Não há nenhuma criança que seja igual na escola ao que é em casa, pois o meio envolvente é diferente! E viver um grupo nem sp é fácil...
bjs
De Mamã Gansa a 19 de Outubro de 2011 às 20:46
Eu atenta estou, o problema é estas crianças que se calam escapam aos olhos dos outros cuidadores como o caso dos professores e auxiliares. Ela em casa é bem mais rebelde, infelizmente tem valores a mais para os tempos que correm
bjs

Comentar post

Crónicas gosta de

Andamos por aqui...