mais sobre mim

cuscar no ninho

 

Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Crónicas frescas

2anos….

Manteiga

Coisas más e coisas boas

Feliz 2014

Feliz Natal

Feliz Natal

Dezanove mesinhos

Afinal há manhãs assim c...

Fomos a praia os três...

Gonçalo e a "cobertura de...

Gonçalo e a Otite

Batata versus Body

Voltámos à nossa Praia

Notícias

O puto já anda

8 anos o número do Infini...

Um ano de ti Gonçalinho

FELIZ NATAL

Babá valente

Dez meses de ti Gonçalo.

Saídas da Bá

O lanche do Gonçalo

O 1º lanche que a mana d...

É oficial a Bá já está no...

Dicionário de Bárbara

Já fiz 5 meses.

Indginção em dfesa da ama...

Nasceu uma mãe I

Nasceu uma mãe II

Coisas da Bá

Cronicas Antigas

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

tags

adeus

agradecimento

ajuda

alimentação

almoço atribulado

amiga

amigos

amizade

amor

amor de mãe

amor maternal filha

aniversário

aniversário da bárbara

aniversário do cr´´onicas

aniversário do crónicasde uma mãe atrapa

anjos

apego

aprender

apressada

arrumações

avó

bá escola

bá sementes

baba

babyblog

banho

bárbara

barbara

bárbara.

batata

bbá

bdnotícias de bárbara

bebé

bebé quer falam precocemente

bebés

beijos

birra

birras

blogontro

blogontro cancelado.

boas festas

bola de pêlo

bolo de bolacha receitas fáceis

bondade

bonita

brincadeias avós lenga-lenga

brincadeira

brinquedos

cadeia alimentar

cadeirinhas

campanha. mãe

carinho

carnaval

carro

carros

carta

chacina

chica esperta

cibernética

cinema

cinoc sentidos anjos de prata

cinto

ciúmes

clube mammy

concurso

conversas engraçadas

coração de ouro.

criança

crianças

darfur

desenho

dia do pai

divertido

festa

filha

filhos

flores

golfinhos

histórias

jardim

linda

mãe

magia

mamã

menina crescida

natal

notícias da bá

operação

parabéns

patinho

polícia

praia

prémio

regresso

sapo

selo

talento

vaca

varicela

todas as tags

A mamã gansa gostou

A minha experiência de am...

Fomos à praia

E quando os filhos de Cro...

FRAUDE CIBERNÉTICA É CRIM...

Sabor a azul do Céu...

O Ursinho Gummy

A mamã Natal perdeu as ca...

Um Domingo especial

Parabéns filha

Para a minha Barbarita pe...

Mminhos para o Ninho

1º Lugar Babyblogs

Mamã Gansa

Cria o teu cartão de visita

Voaram sobre o o ninho da Mamã Gansa

Andamos por aqui...

O Nosso selo e os de voos amigos

Crónicas de uma Mãe Atrapalhada

O Selo do nosso Ninho e voos amigos

Crónicas de uma Mãe Atrapalhada

blogs SAPO

subscrever feeds

"Vais ter que aprender a viver com dois pequenos problemas" Bárbara

Carta ao Pai NatalCarta ao Pai Natal de Bárbara Duarte

Lilypie Kids Birthday tickers Daisypath Happy Birthday tickers Lilypie Third Birthday tickers Lilypie Breastfeeding tickers
Sábado, 16 de Março de 2013

8 anos o número do Infinito.

 

Fazes oito anos, o número do Infinito, tal como o meu amor por ti filha.

Já escrevi tanto sobre o meu amor por ti, que me faltam as palavras. Amei-te assim que suspeitei da tua existência. E é por isso que eu acredito no amor à primeira vista. Uma das minhas memórias mais gratas enquanto estavas na minha barriga foi quando fui fazer a amniocentese. Falei contigo na minha barriga, sobre o medo que tinha de nunca te conhecer pessoalmente, pedi-te que estivesses sossegadinha para tudo correr bem e assim foi. O médico estava estupefato dizia que era raro, que devias estar a dormir e nem te apercebeste. Eu olhava para ti no monitor, encantada. Tinhas o nariz arrebitado e parecias ter uma bela barriguinha de bebé rechochudinha. Fiquei orgulhosa de ti, parecia que tinhas mesmo dado ouvidos à mamã.

 Na noite anterior ao teu nascimento fui passear. Fartei-me de andar. Davas-me uma energia única. Acho que era a tua energia porque nunca mais a senti.

  No dia do teu nascimento as coisas não correram tão bem quanto o desejado. Estive em risco de te perder. Mas os nossos anjos da guarda acudiram-nos na pessoa de uma enfermeira a quem nunca agradeci devidamente na vida. Se não fosse ela acudir depois de u tanto tocar à campainha . Talvez não estivesses cá. Talvez estivesses mas com graves problemas. Estavas sufocar dentro mim. Querias nascer e não podias porque tinhas o braço por cima da cabeça.

   Se não fosse isso terias nascido sozinha. Mas não conseguias o braço impedia-te. Depois finalmente apareceram e ficaram em pânico. Nem sabiam muito bem o que fazer. Eu que sou a Maria dos stress só pensava que tinha que manter calma, para não piorar oq eu e me apercebi estar mal, mas que ninguém me dizia. Comos eu fosse cega ou surda, ou insensível. Discutiam a hipótese de uma cesariana de emergência. Mas acabaram por optar tirar-te o braço de cima da cabeça ainda na minha barriga. As dores foram lancinantes enquanto te tiravam o braço.

Quando entrei no bloco de partos não deixaram chamar ninguém, alegando que não sabiam se ia correr bem, que podiam ter de fazer uma cesariana de emergência ou usar fórceps ou ventosas. Estas duas últimas palavras causaram-me calafrios. Tinha pânico. Concentrei-me. Rezei e pedi força. Agarrei-me aos ferros e só consegui descansar quando te senti sair de dentro mim. Foi uma sensação única. Por magia as dores passaram. Ergui-me e disse já nasceu! Quero vê-la. Tinhas umas quatro pessoas de roda de ti. Não choravas. À pressa trouxeram-te junto de mim. Só um pouquinho para minha tristeza. Queria ter ficado contigo junto de mim. Mas tinham de te levar. Finalmente ouvimos o teu choro já não estavas na sal e todos suspirámos de alívio. Agora já sabes porque não tens as fotografias do teu nascimento como tem o mano. Desculpa filha, não foi possível. A seguir fiquei esquecida por meia hora na sala de partos. Foram chamados de emergência e não pediram a ninguém que me fosse auxiliar. Foi quando uma enfermeira lá entrou e me viu que finalmente me levaram para o recobro. Fiquei sem ti muito tempo. Passaram-me todo o tipo de pensamentos pela cabeça. Quando via a enfermeira que inicialmente nos ajudou perguntei-lhe:

- Onde está minha bebé? Ela está bem. Ninguém me diz nada. Ela é perfeita?

Então ela sorriu e pediu aos outros enfermeiros tragam-me aquela perfeição. Tragam a bebé linda desta senhora.

E quando finalmente te segurei nos meus braços, depois de tudo. As lágrimas vieram-me aos olhos( tal como agora) . Olhei para ti e perguntei:- E agora o que é que faço contigo? Tens de me ensinar a ser mamã!

  E todo o meu mundo mudou para sempre.

  Não foste nunca de bebé uma criança fácil . Eras chorona. Desesperante. Tive de lutar para te amamentar e depois de conseguir só querias mamar. Não gostavas de estar sozinha e ainda não gostas.

 Aos 3 meses viravas-te. Aos 4  começaste a rastejar um pouquinho. Adoravas rebolar-te e rastejar. Palravas que até metia impressão. Aos seis tiveste uma explosão desenvolvimento falaste  gatinhaste.

         Ainda me recordo de pensar que tinha endoidecido quando te ouvi responder:

-Não ké!

Olhei para ti atónita. Tu só de fraldinhas!

Desde aí eras tão tagarela e mexida que ninguém acreditava às vezes que ainda nem tinhas feito um ano. Tornei-me perita em mudar fraldas enquanto gatinhavas.

Depois o tempo passou e eu nem me apercebi. És uma pequena borboleta. Herdaste “ o mau feitio” dos papás, mas és maravilhosa. És refilona teimosa, resmungona, desobediente. Nunca foste uma criança fácil. És enérgica e arisca. É preciso saber conquistar-te, mas que te conquista tem o teu coração para sempre. És uma maravilhosa “ mana crescida”, carinhosa, brincalhona e protetora do mano. E ele é o teu fã número um.

 Tens um coração bondoso tamanho do mundo. E queres fazer uma banca de limonada para ganhar dinheiro. Fazes-me sorrir.

Pões-me a cabeça em água e no momento seguinte, tens um gesto , uma palavra de ternura que me desarmam. ´

És única genuína! És uma fúria da Natureza e eu não sei como se educa uma, mas acho que tenho feito um bom trabalho, quando olho para ti e te vejo a proteger os mais pequenos e os mais fracos. És a minha Bárbara senhora das tempestades de fúria e de amor. Eu tenho muito orgulho em ti filha, com o teus defeitos e qualidades.

E serás sempre aquela que me deu de presente a palavra Mãe. Nasceste no dia 16 de Março no Hospital de S. Francisco Xavier  e é por isso que às 17h30 estamos de Parabéns!

 

 

crónica da Mamã Gansa às 03:56
link do post | Diga à Mamã Gansa | o que disseram à mamã (5) | Ena pá isto é muito giro
 O que é? |  O que é?

Crónicas gosta de

Andamos por aqui...